quarta-feira, 15 de abril de 2009

Jaracatiá

O Jaracatiá, também conhecido como mamão-do-mato, mamão-bravo ou chamburu, é uma árvore da família do mamão , e tem uma forma parecida com a de uma paineira (caule grosso) ; possui grande dispersão no Brasil; vai desde a Mata Atlântica até o cerrado; mas vem sofrendo um processo contínuo de redução podendo estar ameaçada de extinção. Este parente do mamão (Jaracatia dodecaphylla A.DC0 ) produz frutos pequenos, parecidos com um mamãozinho, e são uma boa fonte de alimento para a fauna onde ela ocorre; é excelente árvore para reflorestamentos e reconstituições de regiões degradadas; pode-se fazer doce de seus frutos, mas o mais interessante do jaracatiá é que seu tronco é comestível! antes é preciso passar a polpa do tronco por um processo de cozimento, mas o resultado é uma polpa com consistência de coco! Para se fazer o processo de extração não é necessário cortar a árvore: se for uma árvore grande pode se abrir uma fenda no caule, colher uma parte do tronco, e depois fechar a ferida com argila e recobrir com sua casca extraída ... é como um curativo , a árvore se regenerará! segundo o caboclo que me explicou!

NOME INDIGENA: Jaracatiá, vem do Tupi e significa “Fruta da arvore do talo ou tronco mole”.

Origem: Matas de altitude da mata atlântica e mata de galeria dos cerrados desde Minas gerais ao Rio Grande do Sul. Argentina, Paraguai e Cordilheira dos Andes.

Características: A arvore cresce até 10 metros de altura, tem copa é rala e cônica, é dióica, ou seja, tem flores masculinas e femininas em árvores separadas. O tronco é esbranquiçado e espinhoso. As folhas são palmatilobadas ou seja parecendo uma mão com muitos dedos. As flores são pequenas, esbranquiçadas, as masculinas aparecem em pequenos cachos e as femininas, nascem isoladas nas axilas das folhas.

Dicas para cultivo: É planta de crescimento rápido, aprecia solos profundos e ricos em matéria orgânica, resiste a baixas temperaturas (até – 1 graus), vegeta desde o nível do mar até 2.000 m de altitude. Visto existirem pés machos (improdutivos) e fêmeas (produtivas) convém plantar no mínimo 3 indivíduos.

Mudas: As sementes são pequenas e germinam em 30 a 40 dias sob ambiente sombreado e 50% delas entram em dormência germinando só no fim da primavera. As mudas crescem rápido e começam a frutificar com 4 a 6 anos de idade, dependendo da adubação e condições climáticas.

Serviço: A Embrapa Cerrados venderá mudas a partir de outubro (ainda estão pequenas, em tubetes). É só ligar para lá: (61) 3388-9898 (a informação apareceu no último Caderno Agrícola do jornal Estadão)

Plantando: espaçamento entre arvores 6x6 m, cresce bem em pleno sol, como em bosques sombreados. As covas devem conter 40% de matéria orgânica e pH neutro, conseguido com a incorporação de 3 kg de calcário por cova, 2 meses antes do plantio.

Cultivando: A planta não requer podas. A adubação com composto orgânico é suficiente, pode ser (6 litros) cama de frango ou composto orgânico + 50 gramas de N-P-K 10-10-10, dobrando essa quantia até o terceiro ano após o plantio, distribuindo-os em círculos a 50 cm de distancia do tronco.

Usos: os frutos tem polpa amarelo alaranjada, lembram o sabor do maracujá e da manga, contem látex que queima a língua e os lábios de algumas pessoas sensíveis, por isso aproveitar os frutos bem maduros que devem ser podem ser consumidos com casca e tudo, porém comer pequenas quantias por causa do efeito laxativo. Também podem ser usados para fabricar sucos e doces. O tronco é usado para fazer um doce semelhante a cocada.

Doce do Caule do Jaracatiá:

Corte um círculo na casca da árvore, retire essa “tampa”, e retire um pedaço do caule. Em seguida, coloque novamente a casca na árvore e fixe com fita para soldar novamente, protegendo a árvore, que irá se regenerar. Lavar bem o pedaço retirado, ralar e deixar de molho por uma hora. Em seguida, lave novamente várias vezes até eliminar o leite. Cozinhe em água e açúcar (pode colocar cravo), mexendo até dar o ponto. Sirva frio.

4 comentários:

  1. Gostei das informações colocadas em sua postagem, já encontrei exemplares desta arvore em áreas de floretas de estagio médio e avançado de regeneração. Na verdade encontrei dois tipos de Jaracatiá. Igual a o das fotos postadas e outro com a fruto sextavado, com 4 quinas e bem pontudo. Você tem alguma informação sobre este, o encontrei na Mata Atlântica, na região serrana do estado do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por valorizar cada vez mais nossa Brasilidade...Sou um dos Engenheiros Agrônomos que batalha junto aos agricultores familiares e estimulando o cooperativismo ,além das oportunidades de renda e qualificação de cidadania.Como participante efetivo do CONSEA PR < Conselho de Segurança Alimentar do PR> saliento a enorme importância em nos dedicarmos melhor as nossas frutíferas seja da MATA ATLÂNTICA ou do CERRADO o qual conheço bem;
    Saudações em nome da INTERCOOP e da CASA BR Curiiba

    ResponderExcluir
  3. Ola eu tenho um jaraquitia aqui na minha chacara ele esta com 1 ano e pouco comecou a dar frutos esta a coisa mais linda o meu esta com 3 metros de altura

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua colaboração!