quinta-feira, 5 de março de 2009

A verdade sobre o palmito


O palmito é um produto extrativista controverso e ao mesmo tempo pouco compreendido pelo consumidor em geral; talvez por esta razão a sua importância na preservação da mata atlântica seja ignorada por nossa sociedade. 

Na verdade, o palmito é um luxo que o homem moderno insiste em explorar predatoriamente; sua comercialização indiscriminada é uma extravagância de consumo irresponsável e tão questionável quanto o são os casacos de pele, a gordura da baleia e os enfeites de marfim.

Antes de tudo devo dizer que existem algumas espécies de palmito no Brasil e entre elas a Pupunha (Bactris gasipaes) e o Açai (Euterpe oleracea) que são naturais da floresta equatorial e já possuem algumas áreas de cultivo agrícola sustentáveis; mas o Palmito Jussara (Euterpe edulis),
que é natural da Mata Atlântica e muito importante para o seu ecossistema, sofre perigo de extinção é obtido basicamente pelo extrativismo predatório de áreas sob proteção ambiental, e é dessa esplêndida árvore que vou tratar a seguir.


Por desconhecimento da população ou interesses econômicos de máfias que exploram este mercado, o palmito ainda é tratado como alimento viável e aceito pela sociedade como tal, mas a realidade da sua extração na natureza, sua viabilidade econômica como recurso renovável e seu valor como alimento é bem outro.

Hoje ao comprarmos um vidro de Palmito Jussara nos supermercados ou nos servimos de grandes nacos nas churrascarias pelo Brasil afora é como, quardadas as devidas proporções, estivéssemos indo a um desmanche de carros roubados buscar uma peça para nosso automóvel ou mesmo comprando carne de paca (caçada ilegalmente e em perigo de extinção) ou comprar ossos moídos de tigre (na Ásia atribui-se um valor medicinal).

Não existe cultivo de palmito Jussara no Brasil que possa atender a demanda existente hoje, ape
sar de algumas  tentativas frustradas, isto porque o palmito leva cerca de 10 anos para ser colhido,o que inviabiliza o negócio, além da concorrência do palmito ilegal que pode ser vendido bem mais barato... 


Todo palmito que já comemos até hoje foi extraído de dentro da Mata Atlântica e na imensa maioria de forma ilegal. Esse corte ilegal é feito geralmente dentro das Unidades de Conservação (Parques Estaduais, Nacionais,Estações Ecológicas).

Os palmitos são cortados dentro da mata e cozidos na hora sob péssimas condições de higiene ,depois são transportados pela mata até barcos escondidos em represas ou rios, ou deixados em pontos onde serão coletados por caminhonetes no meio da noite; após chegar às fábricas, são lavados e colocados em frascos aparentemente limpos, mas podem causar vários tipos de doenças , como hepatite, botulismo, cólera entre outras.

A parte importante do palmito no ecossistema da Mata Atlântica ironicamente não é o produto que consumimos, na verdade a importância do Jussara na teia alimentar da mata atlântica está nas suas sementes, que são muito nutritivas.

Sabemos que arapongas, sabiás-unas,sabiás-pimenta(foto ao lado) tucanos, jacutingas, macucos, catetos, queixadas, veados, esquilos, cutias,pacas, antas, e outros animais da floresta consomem os frutos e dispersam as sementes do jussara pela mata. Sem a jussara várias espécies de animais podem desaparecer e vice-serva. Em alguns locais onde o palmito foi dizimado já podemos notar a ausência da fauna.

O palmito propriamente dito, que conhecemos na forma de vidrinhos rotulados com selos de qualidade questionáveis é a ponta desta palmeira onde as futuras folhas estão em formação, ou seja , são árvores de quase 15 metros de altura derrubadas para se extrair 2 a 3 quilos de palmito e estas folhas bebês só são consumidas pelo homem,e uma vez cortado o palmito ( mesmo que se deixasse o tronco) a árvore morre! Jamais brotará novamente ... não há um animal na Mata Atlântica que utilize o palmito para a alimentação como o fazemos; tal fato, não é por acaso, pois os animas têm um conhecimento empírico dos alimentos e da sua utilidade para o equilíbrio ecológico destilado por milhares de anos... já o homem não!

Como se todas as conseqüências do consumo do palmito não fossem suficientes para nunca mais comprarmos palmito Jussara, aqui vai mais um dado sobre esta importante palmeira que provavelmente vai surpreender a muitos :

O Palmito é um alimento com baixo valor nutritivo, seus únicos componentes úteis pra o organismo são fibras vegetais e alguns sais minerais,fósforo e potássio,sendo todos eles plenamente mais abundantes em outros alimentos mais baratos e viáveis ecologicamente; como exemplo , comer alface ou cebola é mais nutritivo que comer palmito.

Atualmente existe uma guerra entre os palmiteiros e os guardas-parques em todo o Brasil.

Os palmiteiros estão fortemente armados e mobilizados para extrair todo palmito possível da Floresta Atlântica. Guardas florestais frequentemente são mortos.

O corte do palmito é tão organizado quanto qualquer outro tipo de tráfico.
Sabemos hoje que os palmiteiros possuem rádios, armas e transportes mais eficientes que os dos guardas, como barcos a motor de popa ou caminhões.
Além de cortar os palmitos, muitos animais são abatidos pelos palmiteiros que já aproveitam a viagem para esse outro fim,a caça ilegal .

Palmiteiros não respeitam propriedades, dizem que o palmito é de Deus e de quem mais pegar, invadem áreas particulares , caçam o que querem, sujam o que querem, destroem o que querem e algumas vezes chegam a assaltar ranchos de veraneio; intimidam a população local que acaba sendo forçadamente conivente.

Há um tempo, ao chegarmos ao nosso rancho, dentro do que é hoje um Parque Florestal deparamos com esta cena nas fotos a seguir; não só roubaram o palmito de toda a propriedade com não respeitaram nem os palmitos de mais de 40 anos que ornamentavam o entorno de meu sítio.

Por tudo isso, se puderem escolher outro alimento na hora das compras a natureza agradece!

28 comentários:

  1. Fiquei muito surpresa com essa matéria e ao mesmo tempo triste por consumir tanto na minha casa.Apesar de ser delicioso vou deixar de ser uma consumidora assídua desse produto!QUERO DEIXAR AS PALMEIRAS VIVEREM!! RSRS

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por visitar meu blog! (http://olhonatural.blogspot.com/ )

    Fiquei feliz por sua visita;
    Volte Sempre!

    Mauricio Merzvinskas (Mskas)
    http://olhonatural.blogspot.com/
    http://mskasarquitetura.blogspot.com/
    http://www.panoramio.com/user/2172467

    ResponderExcluir
  3. Merva, ficou bom esse seu post. Triste mas interessante para conscientizar. Abs, M. Iha

    ResponderExcluir
  4. oi !! tenho certeza que isto é verdade .
    tenho uma duvida : o palmito de pulpunha é legal ou não .

    marcelinho

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcelo, obrigado por sua visita;
    Há plantações comerciais hoje do Palmito Pupunha, que produzem legalmente esta qualidade de palmito , sendo uma opção viável para o problema do tráfico do Palmito Jussara, mas ainda assim ele enfrenta a concorrência desleal dos traficantes de palmito Jussara, que conseguem vender um palmito mais procurado por menor preço.
    Não como palmito jussara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauricio, não existe plantações comerciais do palmito Jussara ?
      Que com o tempo fosse abastecendo a população de forma correta, e
      que chegasse a um ponto de acabar com o corte ilegal e a extinção
      do Jussara .

      Excluir
  6. Oiiiiiiii eu adoro palmito de pupunha nunca comi o de Jussara,não existe nenhuma fiscalização na área?como saber se o palmito que eu como é legalizado?obrigado!

    ResponderExcluir
  7. Olá Fernanda, obrigado por visitar meu blog!

    O palmito pupunha possui algumas plantações sim, isso porque ele é uma palmeira que dá em touceiras, e ao se extrair um palmito não se mata a planta ,pois outra muda nasce para repor a extraída, e assim a plantação segue sustentável ... já o palmito Jussara não ... uma árvore em tamanho de corte demora de 10 a 12 anos para crescer e depois de cortada a planta morre! Agora imagine qual agricultor plantaria hoje para colher daqui 12 anos e ainda por cima matando a árvore? Tudo isso para uns 3 Kg de palmito? É muito mais rentável para a indústria extrair predatoriamente da natureza ... As plantações de Jussara que eventualmente existam são na maioria delas usadas para “legalizar” o palmito , ou seja forjar a procedência do palmito contrabandeado e dizer que se originou de lá ... portanto posso quase te garantir que não existe palmito Jussara que não seja fruto da devastação do meio ambiente em qualquer que seja o supermercado que formos ... infelizmente; Assim o palmito Jussara deve ser evitado ao máximo! O palmito pupunha tem uma consistência mais mole que o Jussara e é mais acido também ... porém, em uma torta ou em um pastel quase não se nota a diferença; já aqueles tubinhos nas saladas branquinhos que estamos tradicionalmente acostumados a ver, ou aqueles que vemos enormes nos bifes de churrascarias , aqueles são o Jussara, pois o pupunha tem um formato menos uniforme , ele é meio cônico e não to branquinho e firme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho feito a preservação desse palmito há 25 anos em minha chácara de 12000 m2. Hoje temos mudas filhotes em toda a chácara, Creio que temos umas 2000 mudas espalhadas. Desde cedo percebi a importância ecológica dessa espécie. Sou um dendrologista amador fanático. Parabéns pelo seu trabalho.

      Excluir
    2. Tenho feito a preservação desse palmito há 25 anos em minha chácara de 12000 m2. Hoje temos mudas filhotes em toda a chácara, Creio que temos umas 2000 mudas espalhadas. Desde cedo percebi a importância ecológica dessa espécie. Sou um dendrologista amador fanático. Parabéns pelo seu trabalho.

      Excluir
  8. Caro amigo vc poderia me deixar bem claro sobre a diferença desses 3 palmitos (pupunha, jussara e açai)
    qual dele é mais gostoso?
    como faço para diferenciar-lo alem de escrito nos rotulos?
    obrigado

    ResponderExcluir
  9. Eu morei aí quando pequena. Tenho muita saudade deste lugar. Tudo que ví no seu blog, eu já tinha visto pessoalmente. Onde eu morava dava para ir pra cachoeira da Fumaça a pé. Fazíamos compras em uma venda de secos e molhados que tinha no lugar. Lógico umas duas horas andando mais éra muito bom ver a natureza. No meu quintal logo que eu fui morar lá, ouvíamos um miado muito forte, mamãe dizia que éra uma Jaguatirica. Logo começamos a fazer fogueira a noite e éla saiu de lá. Eu morava no KM. 11,5 da estrada que passa na cachoeira da
    França, depois entrávamos em outra estrada de barro e andávamos uma hora a pé até chegar o meu rancho ou minha casa de pau a pique. Meu 7 alqueires ainda está lá abandonado.Eu perdí o lugar não consigo localizar no Google. Amei seu blog ,continue escrevendo coisas deste lugar maravilhoso. E por falar em Caninana, tinha uma caninana verde que insistia em morar no meu quintal em uma árvore. E as cobras dágua que nos assustava quando íamos buscar água no riacho, ou lavar roupas. Bom os palmitos, a gente pegava só para o consumo mesmo, eu tinha 7 anos na época faz 40 anos que saí de lá, e naquela época não tinha essa procura desenfreada pelo palmito e nem estava em extinção. Tempos bons que não voltam mais.

    ResponderExcluir
  10. Moro no centro de porto alegre e tenho uma juçara no patio daminha casa que nao eh grande deve ter uns 15 m2 e tenho tambem duas cerejeiras do rio grande. Eu adoro essas arvores principalmente a juçara que tem 15m de altura e embeleza a casa. Acho que minha casa recebe destaque enquanto a maioria das casas nao tem jardim na frente na maiorias das veses so um canteiro com estacionamento eu tenho em 15m2 uma pequena floresta.

    ResponderExcluir
  11. Por que vc não leva essa denúncia ao Ministério Público??

    ResponderExcluir
  12. Mas é só o palmito Jussara que devemos parar de consumir? Preciso muito saber disso, pois gosto muito de palmito mas por outro lado tenho muito carinho pela natureza e não quero prejudica-la jamais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Isabel, obrigado por visitar meu blog!
      O palmito açaí ou o pupunha dao em touceiras, portanto e’ possível extrair palmito sem matar a planta e desta forma acho que e’ viável o seu consumo! O único problema que vejo e’ o incentivo ao consumo, mesmo que seja de açaí ou pupunha, pois nem sempre saberemos que palmito estamos comendo em restaurantes etc ...
      Parabéns pela preocupação ambiental!

      Excluir
    2. Bem na verdade VC mata a planta, mais elas geralmente das raízes, dão broto, e o período de cresci!emto e mais rápido, mais ou menos 1 ano, não demora 10 anos que nem o jussara.

      Excluir
  13. E o palmito do açaí, posso consumi-lo sem problemas com a natureza?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Rogério, obrigado por visitar meu blog!
      O palmito açaí da’ em touceiras, portanto e’ possível extrair palmito sem matar a planta e desta forma acho que e’ viável o seu consumo! O único problema que vejo e’ o incentivo ao consumo, mesmo que seja de açaí ou pupunha, pois nem sempre saberemos que palmito estamos comendo em restaurantes etc ...
      Parabéns pela preocupação ambiental!

      Excluir
  14. Eu já desconfiava disso. Agora sabendo mais sobre o assunto, fiquei chocado.
    A 12 anos atrás, trabalhando na zona rural de Mogi das Cruzes, precisei entrar na mata para fazer o "nº 2". Então deparei com uma destruição sem fim dos palmiteiros. Verifiquei que os ladrões destroem as plantinhas pequenas para abater as grandes, arrancam, cortam, etc.
    Correndo o risco, coletei 12 mudinhas que trouxe para minha pequena chácara. Consegui salvar apenas uma. Hoje, noto a presença de um casal de tucanos que frequentemente vem comer os frutos do jussara. Já está com 12 anos e até agora não consegui produzir mais mudas.
    Tudo o descrito na matéria é exatamente a mais pura verdade.
    Ainda tenho um pau-brasil 10 anos e uns 8 metros e um jacarandá da bahia de 1 ano.
    VAMOS PRESERVAR!!!

    ResponderExcluir
  15. Mauricio, sem ofensas mas achei o seu artigo extremamente sensacionalista. Tenho uma área de reflorestamento em Santa Catarina, perfeita para praticar o manejo sustentável do Juçara e tenho muito interesse na cultura dele, tanto para comercializar quanto para preservar a mata atlântica. Acontece que o corte sustentável do Juçara é praticamente impossível graças às dificuldades impostas pela legislação, mesmo para produtores extremamente interessados na conservação da mata Atlântica. Como ninguém vive de caridade, essa espécie não é mais plantada comercialmente por quase ninguém, aumentando mais e mais o seu preço no mercado (o preço atual do tolete está aprox. em R$ 85,00 o quilo!!), tornando cada vez mais interessante a extração ilegal. Os únicos acessos a esse saboroso (e valioso) alimento serão nas poucas áreas viáveis de produção, normalmente de produtores que tenham no minimo centenas de hectares de mata Atlântica com interesse nessa burocracia infernal, o que garanto a você que são muito poucos. Ou da extração ilegal de reservas e propriedades particulares como ja vem ocorrendo. Garanto a você também que o sabor do tolete Juçara é muito, mas muito melhor do que o tolete do Açai ou da palmeira Real. Como alternativa, os produtores que não querem continuar na ilegalidade estão migrando em massa para o cultivo da Palmeira Australiana, que tem extração livre permitida por ser uma espécie silvestre. É claro que o controle das mudas é impossível e essa espécie está acabando por se incorporar à nossa mata Atlântica. As consequências dessa situação ninguém sabe muito bem ainda. Tiremos então o nosso chapéu aos legisladores e aos ecochatos que desconhecem o panorama e acabam eles mesmo ajudando na extinção das nossas espécies mais valiosas. Aguardo ansiosamente a resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. digo, a Palmeira Real é uma espécie exótica.

      Excluir
    2. Olá Gustavo, desculpe a demora em responder seu comentário, não foi minha intensão ignorá-lo. A intensão deste texto não foi a de inviabilizar sua plantação e sim salvar o que ainda existe de palmito na natureza e levar ao conhecimento do publico os motivos de o Palmito Juçara estar se extinguindo. O assunto não se encerra no que escrevi e vejo que você acrescentou mais dois elementos à discussão, a legislação ultrapassada e o cultivo de especie exótica, de fato são assuntos que merecem ser abordados! No mais, acho que não estamos em lados opostos da discussão, nos dois queremos o melhor para esta palmeira espetacular, eu porque cresci admirando sua importância para a mata atlântica e você porque quer desenvolver um cultivo legal e harmonioso com o meio ambiente. Não vou mudar meu texto original pois acho que postagem devem se manter intactas por respeito aos leitores que já leram e opinaram, mas se o escrevesse hoje eu acrescentaria sim a possibilidade de existir um cultivo adequado e sem agredir à Mata Atlântica.

      Excluir
  16. Por que comemos palmito? não tem gosto de nada! não entendo como pessoas dizem "é tão bom" se realmente NÃO TEM GOSTO (ou minha língua é estragada)

    ResponderExcluir
  17. Olá...Muito interessante o seu texto. Mas sugiro conhecer a indústria Real Palm. Há 10 anos eles iniciaram uma plantação da Palmeira Real em Santa Catarina, vinda da Austrália, muito semelhante a Jussara. A Indústria tem como embasamento de produção a sustentabilidade e higiene. Dê uma olhada no site deles... http://realpalm.com.br/....

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  19. Existem outras palmeiras que substitui tranquilamente o palmito jussara, tais como: Palmeira Real e Pupunha. As palmeiras citadas são cultivadas e processadas de forma legal. Não compre palmito Jussara, com certeza foi extraído ilegalmente.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua colaboração!